Buscar
  • Restauração Cultural

Onde nasceu o alfajor?

Atualizado: 9 de Out de 2019

O alfajor é realmente argentino?


Até pouco tempo atrás, eu também achava que os alfajores eram doces provenientes da Argentina. Como eu me delicio em diversas aventuras gastronômicas, procurei saber a origem deste doce agradabilíssimo ao paladar.


A Espanha, que até o século XVIII era denominada Península Ibérica, banhada pelo oceano Atlântico, a norte, a noroeste e a sudoeste, e pelo mar Mediterrâneo, a leste e a sul, foi invadida pelos muçulmanos para a conquista do território e implantação do islamismo.

Nesta invasão, além de muitas mortes, inclusive do Rei Rodrigo em 711, a culinária espanhola obteve sofisticação com a entrada infinita de especiarias. Nesta época, foi trazido um doce de nome al-hasu, que significa “o recheio”, que derivou para alajú, e mais recentemente para alfajor. Primordialmente sua base consistia em amêndoas, mel, avelãs e cravo. A região de Andaluzia mantém até nos dias de hoje o segredo dos verdadeiros alfajores com o toque hispano passado de geração em geração.


Esta receita que leva os ingredientes mel, amêndoas, pão moído, canela, cravo e matalahuva (anis) que recheiam duas bolachas, foi a que foi trazida nas colonizações das Américas. Cada região da América adaptou diversas formas de confecção dos alfajores. No México os alfajores são de côco, com recheio de geleia ou doce de leite. Na Guatemala, Nicaragua e Colômbia e Venezuela, os recheios podem ser de doce de leite ou geléias, cobertos com côco ralado. No Chile, Peru e Argentina são recheados somente com doce de leite. O que difere entre os três, é que somente na Argentina os alfajores são banhados no chocolate e no Chile e Peru são polvilhados com açúcar.


Aqui no Brasil, temos também o nosso alfajor, o bem-casado, que talvez seja o mais próximo da receita original.


Autoria de:


109 visualizações2 comentários